Toyota abre programa de demissão voluntária para o setor da produção em Indaiatuba

Colaboradores da montadora japonesa que está em Indaiatuba desde 1998 têm até o dia 3 de novembro para aderir ao programa; benefícios são de um ano de salário mais convênio médico pelo mesmo período entre outros incentivos

0
570

A Toyota abriu um Programa de Demissão Voluntária (PDV) específico para os colaboradores da produção da planta da montadora em Indaiatuba. Pelas regras do PDV os colaboradores têm até o dia 3 de novembro para assinar a adesão. O PDV começou no dia 15 deste mês de outubro. A empresa não divulga números de adesões feitas nestes primeiros cinco dias do programa.

“A decisão de aderir ao Programa de Demissão Voluntária (PDV) é exclusiva de cada colaborador”, informou assessoria de comunicação da multinacional, na tarde desta terça-feira (20).

Pelas regras anunciadas pela empresa o colaborador que aderir ao PDV terá direito a alguns benefícios. O incentivo é de doze meses de salário, 13º e férias proporcionais e PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Além disso, quem aderir terá direito a plano de saúde extensivo aos familiares também por doze meses. Para os colaboradores com familiares com doenças crônicas relacionadas no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) o acesso ao plano de saúde será de um ano e meio.  

A decisão da Toyota do Brasil de abrir um Programa de Demissão Voluntária apenas para o setor da produção da fábrica de Indaiatuba é por conta da necessidade de “readequação” ao atual cenário econômico e “redução de custos”. A empresa afirma que trabalha neste sentido há algum tempo, mas que devido à pandemia da Covid-19 houve “a necessidade de reduzir o número de colaboradores da produção na cidade”.

O objetivo é ajustar o nível de produção a nova realidade do seguimento de sedans médios no Brasil. Em Indaiatuba a Toyota produz o modelo Corolla. A multinacional sustenta que houve queda nas vendas nos mercados interno e externo por conta da pandemia. De janeiro a setembro de 2020 a queda ficou na ordem de 40% em relação ao mesmo período de 2019.

A empresa não esclarece se pretende demitir colaboradores do setor da produção em Indaiatuba após o fim do prazo do PDV. A multinacional tem atualmente cerca de dois mil colaboradores na planta da cidade entre o setor administrativo e a produção. A Toyota Indaiatuba foi inaugurada em 1998.

Este não é o primeiro PDV anunciado pela Toyota do Brasil em 2020. Em setembro a montadora japonesa abriu um programa de demissão voluntária específico para o setor administrativo para todas as plantas no país.

Deixar um Comentário